Museologia solidária no Museu do casal de Monte Redondo

21.05.2018

Entre os dias 12 e 20 de Maio decorreram no Museu do Casal de Monte Redondo um conjunto de ações de solidariedade para com o grupo de jovens que desde há algum tempo assumiram o Museu como lugar de partilha e de intervenção comunitária. Muito desde trabalho expressa-se no multifacetado Museum Festum

“O Museum Festum é um evento participativo, que se promove como um arraial de culturas. Acontece no Museu da vila de Monte Redondo desde 2012 e de ano para ano tem-se transformado numa partilha de contactos, de projetos artísticos e culturais e de ideias sociais.
Um arraial que preserva as memórias do passado e procura a metamorfose do futuro.
Sendo o Museu Casal de Monte Redondo um projecto que surgiu no âmbito da museologia social principia-se o encontro com a comunidade. Sendo por isso, importante promover uma programação cultural para todos.
Motivando a comunidade a participar de forma ativa, criativa e crítica na produção do evento”
http://museucasalmr.wixsite.com/museumfestum

As ações tiveram como denominador a ideia de “Museologia de Emergência” pois tratava-se da realização de várias atividades visando criar melhores condições para os projetos do próprio Museu. As atividades foram acompanhadas em permanência por Judite Primo e Mário Moutinho da ULHT e Pedro Pereira Leite do CES- Universidade de Coimbra e contaram com a participação de vários colaboradores do Museu. O grupo era constituído por estudantes/museólogos dos programas de Mestrado, Doutoramento e Pós-doutoramento que aceitaram aliar o pensamento com a ação. O alojamento do grupo foi feito em casas particulares oferecidas para o efeito e a alimentação foi fornecida com custo museológico pelo Restaurante Imperial. Foi uma semana de alta gastronomia que a tod@s agradou de forma muito explicita e nalguns casos muito visível !.  

Neste contexto foram desenvolvidas as seguintes atividades:

1. Renova Museu

Transferência da oficina de Coronharia para o Rés do chão do Museu com cerca de um milhar de peças;

Criação de espaço para a instalação do tear de trapos por forma a poder voltar a ser utilizado;

Revisão parcial do acervo com particular atenção à sua higienização e às condições de conservação;

 

Pintura da sala principal do Museu e outros espaços.

Transferência para um contentor de 12 metros adquirido para esse fim e instalado em local adequado de diferentes materiais, livros oferecidos ao Museu e ainda não catalogados, espólio documental Luis Pereira da Costa, equipamento informático materiais provenientes de exposições anteriores etc.. Algumas destas ações, pela sua natureza técnica, só foram possíveis por terem recebido apoio de profissionais e empresas de Monte Redondo que disponibilizaram pessoas e equipamentos.

 

2. Reunião/ Debate sobre o futuro Museu do Pinhal do Rei

Na tarde do dia 17 teve lugar uma sessão de reflexão sobre a realização do futuro e da Exposição motivadora em preparação dedicada ao Pinhal do Rei com a participação do seu coordenador Dr. Luís Neves, Mestre em Museologia pela Universidade Lusófona. Após a apresentação do Projeto teve lugar um animado debate sobre o lugar da memória na construção desta iniciativa. Foi também apresentada a muito completa colecção de Resinagem do Museu e assegurada a sua disponibilização total ou parcial caso venha a ser necessária.

 

3. Reunião /Debate sobre o futuro Museu da Convivência de Aveiro

No dia 18 o grupo deslocou-se a Aveiro para uma reunião/ Debate sobre o tema: “Museu da Convivência – propostas”, com a Comissão organizadora presidida pelo Dr. Rui Diniz da Associação Convivência, que teve lugar nas instalações Departamento de Educação e Psicologia, da Universidade de Aveiro. A reunião contou com a participação do Professor Jorge Arroteia (ex Pró-Reitor da UA) que salientou o facto da iniciativa reunir uma Universidade pública e uma universidade privada, as quais de forma assertiva, estavam mobilizadas para contribuir com o seu conhecimento para a criação do futuro Museu.

À tarde foi realizado um passeio oferecido pela Comissão organizadora do MC na Ria de Aveiro a bordo de um Moliceiro, tendo o grupo de seguida se dirigido a Ílhavo para uma visita ao Museu Marítimo de Ílhavo, o qual é dedicado essencialmente à Pesca do Bacalhau. O projeto deste Museu e a análise do seu discurso (conceitos, forma e conteúdo) serão motivo de comparação/debate com a visita ao Museu do Trabalho Michel Giacometti que terá lugar em conjunto com os alunos e docentes de museologia da Academia Reinwardt de Amsterdão que vamos acolher no nosso Departamento a partir de 26 de maio.

4. Ação de integração com utentes do Lar Nossa Senhora da Piedade em Monte Redondo

Na tarde do dia 19 teve lugar uma ação de integração que decorreu no Lar Nossa Senhora da Piedade em Monte Redondo onde o grupo teve oportunidade de interagir com os utentes. Foi um momento de vivo diálogo entre todos, em particular à volta das memórias da resinagem. Foi uma experiência forte e inspiradora que deixou portas abertas para ações futuras.

5. Convívio de avaliação

No dia 20 teve lugar durante a tarde um convívio entre o nosso grupo, moradores de Monte Redondo e colaboradores do Museu. A Presidente da Junta de Freguesia de Monte Redondo, Céline Gaspar, esteve também presente.

Durante o convívio foi apresentada a oficina de Coronharia pelo Sr. Alberto Santos, visitados os espaços recuperados durante a semana e apreciado o trabalho realizado com destaque para a apresentação de uma simples referência expográfica, como uma proposta de atuação para uma maior atenção ao lugar da Mulher em Monte Redondo.

 

 

 

 

 

Galeria